Alerta aos Pais do Brasil

ALERTA AOS PAIS DO BRASIL

 

Queridos pais, avós e responsáveis pelas crianças e adolescentes do Brasil. A Associação das Escolas Cristãs de Educação por Princípios e demais entidades educacionais abaixo identificadas manifestam sua indignação diante do Documento de Referência, texto base para discussão de emendas e propostas ao  Plano Nacional de Educação, aprovado no plenário do Senado Federal, no dia 11 de dezembro, pelos seguintes motivos.

O referido documento contém as propostas discutidas e aprovadas, através dos fóruns estaduais e  subsidia a Conferência Nacional de Educação (CONAE), a ser realizada nos dias 17 a 21 de fevereiro de 2014, em Brasília.

Ele não prevê, nem ao menos coloca em pauta, uma base comum de conhecimentos básicos a serem ensinados – História, Língua Portuguesa, Matemática e Ciências – essenciais ao desenvolvimento do raciocínio e da autonomia intelectual.  O documento discute e propõe a criação de “currículos e metodologias diferenciados” adequados a cada grupo étnico, regional ou aos portadores de necessidades especiais, o que é importante e necessário, mas não pode substituir a discussão sobre uma base nacional comum de conhecimentos.   Em um país com altos índices de analfabetismo funcional, incapacidade de realizar as quatro operações matemáticas básicas e de resolução de problemas, as disciplinas elementares e fundamentais deveriam ser tema central de um plano educacional. Precisamos pensar uma Educação realmente  inclusiva, ou seja,  que  viabilize a formação e desenvolvimento intelectual de  todos os brasileiros, especialmente das nossas crianças e jovens.

Você está satisfeito com a Educação que seus filhos recebem?

As emendas propostas através do Documento de Referência, se aprovadas, implicarão no aumento da exclusão social, intelectual e cultural, negando-se ao educando o acesso a uma base comum de conhecimentos capaz de promover o desenvolvimento das habilidades elementares: a capacidade de ler, interpretar e escrever textos em sua própria língua, a capacidade de somar, subtrair, multiplicar e dividir, bem como a capacidade de raciocínio e resolução de problemas. Além disso, o referido Plano não contempla o direito do educando de conhecer os fatos históricos mais relevantes, tanto no âmbito nacional quanto mundial.

A maior parte das propostas, tem por finalidade construir uma escola pública doutrinadora e totalitária. O foco é a destruição dos laços familiares e a imposição de ideologias. A meta é  aumentar o número de horas de permanência das crianças de todas as idades na escola,  retirando dos pais e das famílias o direito de educar seus filhos no âmbito religioso e moral, impondo o ensino de uma “moral” relativista ou, pior, a total anulação de qualquer princípio que signifique impedimento ao avanço do totalitarismo de Estado.

Preocupa-nos, também, a proposta de criação de creches no período noturno. Após uma jornada de 8 a 12 horas em creche diurna, a criança frequentará, ainda, creche noturna, com finalidade de garantir o direito da mãe e/ou pai de estudar. A ideia de creche noturna afronta diretamente à Constituição Federal, que diz ser dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade, o direito a (…) convivência familiar. A creche noturna, verdadeiro orfanato estatal, é um exemplo do que tem sido discutido e aprovado no âmbito do Ministério da Educação/Conferência Nacional de Educação, como proposta educacional para nosso país.

Desejamos que nossos filhos sejam educados, moral e religiosamente, por  suas famílias, e não pelo Estado. Lutaremos pelo respeito à diversidade, inclusive a diversidade de pensamento e a liberdade religiosa.

Conclamamos  aos pais, avós e demais responsáveis que acompanhem as votações e manifestem sua opinião.

Conclamamos a todos que se juntem a nós nos dias 10 e 11 de fevereiro, em oração e conscientização pela Educação Brasileira.

June Ribeiro/representante executiva da Aecep.

5 de fevereiro de 2014 09:32 | Tag: , , | Categorizados em:

Comentários estão fechados.